terça-feira, 29 de novembro de 2011

Release dos dois projetos acreanos finalistas do Prêmio VivaLeitura


Esta é a sexta edição do Prêmio Vivaleitura, uma iniciativa dos Ministérios da Educação e da Cultura em parceria com a OEI – Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura -, com patrocínio e execução da Fundação Santillana e apoio do Conselho Nacional de Secretários da Educação (Consed) e da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). O prêmio reflete a importância de um melhor acesso à leitura para o desenvolvimento do Brasil. "Este ano tivemos um total de 1.865 projetos inscritos, vindos de todas as regiões do país. São trabalhos que evidenciam como o brasileiro vem incentivando, inventando ou desenvolvendo ações de promoção da leitura. Selecionar 15 iniciativas entre essas ideias incríveis foi uma tarefa difícil", afirmou Lourdes Atié, coordenadora pedagógica do Prêmio Vivaleitura.



Conheça abaixo os dois projetos finalistas do Acre no Prêmio Vivaleitura 2011:



Categoria 1 - Bibliotecas Públicas, Privadas e Comunitárias


Biblioteca Comunitária de Santa Rosa (Cruzeiro do Sul – AC) – O projeto foi inscrito pela Escola de Ensino Fundamental Antônio Ferreira Gomes, que abriga a Biblioteca Comunitária de Santa Rosa, localizada na zona rural de Cruzeiro do Sul (AC). A escola iniciou a construção da biblioteca a partir da doação de livros da Expedição Vaga Lume, em 2002. Mas o acervo só se tornou funcional e organizado em 2005, com a posse do novo diretor da escola e com a iniciativa do Evilásio Silva de Souza Filho. A escola passou a trabalhar com o acesso aos livros e à leitura, em parceria com os demais setores da comunidade local. Hoje a escola dispõe de um espaço para a biblioteca que também sedia diferentes atividades culturais: mediações de leitura; teatro; exibições de filme; empréstimos de livros para estudantes das três escolas locais e para a comunidade. Um sábado por mês, durante todo ano, voluntários se reúnem para realizar o Mutirão de Leitura. De barco, eles levam livros e fazem mediação de leitura com as populações ribeirinhas, de localidades mais distantes.



Categoria 3 – Sociedade: ONGs, empresas, pessoas físicas, universidades, faculdades e instituições sociais


Quintais Literários (Xapuri – AC) – Tudo começou em 2008, quando Cleilson Alves da Silva passou a ser discriminado na escola devido às dificuldades no desenvolvimento da leitura e da escrita. Para ajudar o irmão, Clenes teve a iniciativa de levar para casa alguns livros, revistas e gibis. A paixão pela leitura foi imediata e eles decidiram compartilhar a experiência com os demais moradores de Xapuri (AC), transformando o quintal de casa num polo de agitação cultural aos finais de semana. Surgiu assim o projeto "Quintais Literários", também chamado de "Seringais Culturais". Entre os objetivos está proporcionar o acesso à leitura para as crianças, adolescentes e jovens das comunidades locais, além de preservar a arte e a memória dos povos da Amazônia. Hoje o acervo conta com mais de mil títulos e DVDs educativos.


Mais detalhes no site da Fundação Santillana.

Nenhum comentário: