quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

De olho na rede: Um tributo a Chico Mendes

Estamos inaugurando nova seção aqui no blog HMX: é o 'De olho na rede', onde compartilharemos com nossos leitores um pouco do muito que pesquisamos e achamos interessante pela rede mundial de computadores - sempre, evidentemente, citando autor e dando o link para o sítio em que está disponível.

Para início de conversa, encontramos um texto muito interessante (e emocionante), fazendo uma homenagem a Chico Mendes:



Tributo a Chico Mendes


Por Glauber Goularte Lima

Link: Aqui


A semana Chico Mendes inicia no Brasil inteiro, todos os anos, no dia de hoje (15/12), exatamente o dia do seu aniversário; e encerra no dia 22 de dezembro, data em que foi assassinado (22/12/88) a mando de latifundiários por defender a preservação da floresta amazônica. Tinha então 44 anos, muitos sonhos e nenhuma hesitação em se colocar frontalmente contra o poder secular do latifúndio.


Figura simbólica da luta contra a destruição da maior reserva de biodiversidade do planeta, pagou com seu sangue o preço de não ter preço. Inúmeras vezes os porta-vozes das grandes corporações que colocam ilegalmente a selva abaixo, quiseram comprá-lo. Vãs tentativas. Era de uma nobre estirpe, enraizada no coração do povo humilde e explorado, incapaz do gesto da traição. Seu semblante expressava uma profunda tranqüilidade, típica de pessoas especiais, que colocam causas relevantes acima da própria vida. Mesmo jurado de morte inúmeras vezes, nunca esmoreceu. Viveu a sua particular crônica de uma morte anunciada, pois todo o povo acreano sabia que seus dias estavam contados para que o latifúndio vicejasse sobre a floresta destruída. Mas nunca se entregou.


Que exemplo de honradez e dignidade, quando alguns politiqueiros de plantão andam com um cifrão à testa, oferecendo-se a quem lhes oferta o melhor preço; quando para muitos, a palavra empenhada deixou de ser a expressão da retidão de caráter para transformar-se num instrumento de engodo e traição. Esse homem, como Zumbi, foi um dos grandes do seu tempo. Herdeiro de uma tradição de resistência e luta que o poder dominante, através do esquecimento, quer apagar.


Alô, Chico. Onde quer que estejas, saiba que teu povo se orgulha de ti. Saiba que tua voz multiplicou-se em milhares de vozes, e que a vida sempre será o limite quando se defende uma causa verdadeira. Que orgulho de contigo compartilhar a condição de ser brasileiro e lutador em defesa das causas de nosso povo, quando muitos se acovardaram e hoje freqüentam as cortes do poder dominante, usufruindo de suas benesses. Tua causa é a nossa causa, e tua voz indômita e serena pra sempre ecoará no coração de nosso povo.


Até sempre, irmão.

Nenhum comentário: