sexta-feira, 27 de julho de 2012

A mulher que comeu o mundo


Espetáculo “A mulher que comeu o mundo”, da Usina de Trabalho do Ator, de Porto Alegre (RS), que está circulando por todas as regiões brasileiras através do Prêmio Myriam Muniz, da Funarte, se apresentará em Xapuri amanhã, dia 28 de julho, às 18h30min, na Praça São Gabriel.

Sinopse


Numa pequena cidade, um célebre e rico ladrão, pai de uma moça gorda, morre. Ela era filha única, vivia isolada do mundo e, sem o pai, nada sabia fazer. Tamanha é a dor em seu coração que a moça esfarela o pai e o come, para tê-lo para sempre consigo.

E não sabendo mais o que comer sai e pede aos vizinhos que ao perceberem que a mulher não conhece o valor do dinheiro e está disposta a trocar toda a fortuna herdada por comida, bajulam-na em troca de suas riquezas. Tentando saciar seu apetite insaciável, a gorda inicia sua busca infindável por comida.

Eis o mote desse espetáculo que brinca com a metáfora da gorda relacionada à ganância e a busca desenfreada pelo poder. Revela também a ridícula condição humana de querer a permanência, a posse das coisas, e por isso lutar, dominar e matar.

Ficha técnica

Elenco: Celina Alcântara, Ciça Reckziegel, Lívia Dávalos (substituindo Dedy Ricardo), Gilberto Icle, Gisela Habeyche, Thiago Pirajira.
Figurino e Adereços: Chico Machado
Música: Flávio Oliveira
Preparação Vocal: Marlene Goidanich
Iluminação e contra regra rua: Shirley Rosário
Direção: Gilberto Icle
Produção: Anna Fuão

A foto é de Myra Gonçalves.
Mais informações podem ser acessadas no site do Grupo clicando aqui

Convite


sexta-feira, 20 de julho de 2012

Espaços de memória de Xapuri ficam fechados nesta sexta-feira

Nesta sexta-feira, 20 de julho de 2012, excepcionalmente, o Museu do Xapury e os espaços de memória Chico Mendes (Casa de Chico Mendes, Memorial do Seringueiro e Centro de Memória Chico Mendes) ficam fechados.

Tal fato se deu devido a terceira parte do programa de capacitação  dos agentes que trabalham nos espaços museológicos. Desta vez, todos os funcionários foram participar de uma oficina em Rio Branco, em uma espécie de roteiro turístico e de educação museal - realizado através do Departamento de Patrimônio Histórico e Cultural da Fundação de Comunicação e Cultura Elias Mansour.

No roteiro, além da oficina com Liberalino Souza, chefe do Departamento de Patrimônio Histórico, os funcionários de Xapuri visitam os museus da cidade de Rio Branco, comparando acervo, limpeza, conservação e, principalmente, atendimento ao público.

As atividades nos espaços museológicos de Xapuri voltam a funcionar normalmente no sábado, dia 21.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Pequenos investigadores no Museu do Xapury

Por Clenes Guerreiro

Olhares curiosos percorrem todos os pequenos detalhes do prédio. Perguntas sobre os mais improváveis objetos e personagens são feitos ao guia – o que não descarta o direcionamento dos questionamentos às professoras, coleguinhas e a quem mais estiver por perto.


Os investigadores mirins estão eufóricos com a visita ao Museu do Xapury que, não raramente, é chamado de museu da borracha, do Chico Mendes, simplesmente museu.

O hall se transforma em um verdadeiro playground, uma extensão do parque de diversões que é o mundo e todo seu lado lúdico – surrealizado pelos anos mágicos e ímpares da infância.

“- Aquele é o Chico Mendes?!” - Perguntava (afirmando) um deles ao guia que, com um largo sorriso, confirmava e tentava explicar, ao pequeno homem que ali estava.
Os olhos brilhavam ao contemplar os espaços e a exposição como um todo. Sorrisos e gritos de euforia pincelavam a costumeira ausência de tamanhos sons no ambiente museológico.

Duas ou três turmas do ensino infantil sabem mesmo como marcar presença em qualquer espaço. Os museus precisam desses visitantes – quanto mais cedo estejam inseridos com sua história e em ambientes e atividades culturais, maiores são as chances de se tornarem adultos com outro tipo de raciocínio.
“- O que você está fazendo?” - pergunta um coleguinha ao outro que contempla o painel que fala da Castanha.
“- Estou lendo...” - respondeu o ávido menino que não devia ter mais que 6 anos de idade.

Meu sorriso ficou largo. Eu sabia que ele, de fato, estava lendo. Não do nosso jeito costumeiro de decifrar os signos ali grafados, mas do modo dele – e eu sabia que isso era possível.

Era agradável ver as crianças da Escola Latife Zaine Kalume encher de alegria o Museu do Xapury.

Entre flashs e cliques registramos esses momentos, finalizados apenas pelo momento da partida (não antes de passearem por todos os cantos do lugar), deixando um gostinho de saudade do curto momento que, mesmo que de forma (talvez) inconsciente, partilharam comigo.


Fotos:
*1 - Entrada das crianças - por Caticilene Rodrigues;
*2 - Explicação de Roberto Roque ao curioso menino - por Cleilson Alves;
*3 - Crianças assistindo um curta-metragem de animação - por Caticilene Rodrigues.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Arraial do IFAC e Rita Maia


Cordel Arraial IFAC e Rita Maia 
Por Eliana Pereira

 
IFAC e Rita Maia
Tem o Prazer de Convidar
Você e sua Família
Para um Grandioso Arraial
Que será dia 06 de julho
E você não pode Falta!

Vai ser lá no Instituto
E tem muita comilança
Muita dança Caipira
Com alegria e festança
Para você se divertir
No Instituto da Esperança




 
Este cordel é de autoria da professora Eliana Pereira, funcionária do IFAC Xapuri, ilustrando de forma artística o evento que acontece nesta sexta-feira, dia 6 de julho de 2012. É a festa  junina do Instituto Federal do Acre – IFAC/Campus Xapuri  em parceria com a Escola Rita Maia. A coordenação do arraial disse que o evento contará com a participação de alunos, professores e comunidade.

O Arraial acontecerá na quadra coberta do IFAC/Campus Xapuri, com apresentação de quadrilhas, danças, venda de comidas (galinha picante, caldo no tucupi, galinha no molho) e bebidas típicas.

Na programação consta a barraca do cupido, bingos, pescaria, dentre outras atrações. 

As informações são do IFAC Xapuri.



segunda-feira, 2 de julho de 2012

Xapuri em imagem: A borboleta


"O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você.
No final das contas, você vai achar
não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!"
(Mário Quintana)
 
A foto é de Jannyne Barbosa.